VOGUE: NOVO ÁLBUM DA MARINA EM 2021

O lançamento de “Man’s World” veio junto a uma entrevista exclusiva para a VOGUE. Marina conta sobre o processo de produção da música, seus planos e sobre o seu novo álbum. Confira nossa tradução:

No verão passado, Marina Diamandis fez uma chamada em suas redes sociais para novas colaboradoras. Publicando um conjunto de selfies em tons de rosa para seus 2,6 milhões de seguidores, a artista pop galesa anteriormente conhecida como Marina and the Diamonds, queria saber em quem ela deveria prestar atenção quando começou a pensar no sucessor do “Love + Fear”, de 2019.

“Quem são suas produtoras, escritoras e artistas favoritas no momento? Estou criando meu próximo projeto… e essa história só pode ser contada por mulheres”, dizia a legenda. “Eu estou procurando por vocês.”

Como o primeiro single de seu quinto álbum de estúdio, que será lançado no ano que vem, “Man’s World” foi escrita por Diamandis e trazida à vida por uma equipe criativa exclusivamente feminina. Produzida por Jenn Decilveo (Bat for Lashes, Hinds) e projetado por Emily Lazar (Sia, Clairo, Haim), o crescente hino pop tem Diamandis declarando: “Eu não quero mais viver no mundo dos homens”, contra uma batida meio vibrante. Parece tão grande quanto os tópicos sobre os quais ela canta, ou seja, a perseguição de mulheres e outros grupos minoritários ao longo da história: “Me queimaram na fogueira, vocês pensavam que eu era uma bruxa / Séculos atrás, agora vocês me chamam de vadia.”

O vídeo que acompanha é similarmente evocativo, apresentando Diamandis e um elenco de performers femininos e não binários vestidos em trajes esvoaçantes e coloridos. Dirigido por Alexandra Gavillet e filmado em todo o deserto de Simi Valley, “Man’s World” tece visuais ensolarados com uma mensagem sociopolítica para um dos clipes mais atraentes na carreira de uma década de Diamandis. Desde que seu álbum “The Family Jewels” estreou em 2010, a cantora e compositora alcançou uma das sequências pop mais devotadas, impulsionada por joias como “Primadonna” aprovada pelo TikTok, e a sátira “Hollywood”. “Man’s World” avança seu som ainda mais, mantendo os ganchos etéreos que sustentaram Diamandis como um dos atos mais inovadores do pop alternativo.

Leve-me de volta às origens de “Man’s World”. Foi inspirada por alguma ideia ou evento em particular?

Eu escrevi no verão passado, em agosto. Eu já tinha decidido que escreveria esse novo álbum sozinha, e o processo pareceu uma reação ao que eu havia lançado anteriormente, o que costuma ser o caso. Cada disco que faço é como o oposto do anterior. Na época, fui inspirada principalmente pelas mudanças que estão acontecendo com as pessoas que são discriminadas. A ideia original para a música era escrever um instantâneo de como mulheres e indivíduos LGBTQ + foram subjugados e discriminados ao longo da história, desde os julgamentos das bruxas de Salém, onde qualquer pessoa considerada anormal ou ligeiramente alternativa era escolhida. Esses tipos de padrões ainda estão presentes na sociedade. Isso é algo inspirador para mim e vale a pena escrever sobre isso.

Você sempre planejou lançá-la após a eleição?

Terminei a música em fevereiro e planejava lançá-la no Coachella, o que é hilário de pensar agora.

pDiamandis wearing a custom Olima silk colorblock cutout dress in the Mans World video. p

Há muitas músicas em seu catálogo que são diretamente sociopolíticas e “Man’s World” me lembrou muito da maneira como você escreveu sobre a cultura do estupro em “Savages”. Como você equilibra o assunto de uma música como “Man’s World” dentro de uma estrutura pop melódica?

Gosto de construir um mundo visual para o ouvinte mergulhar, mesmo que a música em si seja sobre um assunto mais pesado. Em termos do que eu queria transmitir, acho que sempre houve tantas maneiras diferentes de humilhar os grupos minoritários a fim de impedi-los de ganhar o poder. Para as mulheres, isso sempre parece ser desacreditado em seu trabalho ou escolhendo algo sobre sua aparência física ou estilo de vida. Eu vejo muito disso como artista, e tenho recebido muito disso.

Foi por isso que você quis trabalhar com uma equipe feminina neste projeto em particular?

Parecia necessário. Eu estava lendo este livro, If Women Rose Rooted, e realmente pensando sobre as histórias das mulheres e como é importante para as mulheres contá-las de verdade. É minha responsabilidade garantir que estou contratando mulheres que representem o que gosto de falar. “Man’s World” foi uma oportunidade para isso.

Como você se relacionou com Jenn Decilveo como produtora?

Fui apresentada a ela por meu amigo Derek Davies, da Neon Gold Records. Eu estava procurando uma produtora e adorava alguns de seus trabalhos anteriores. Tive sorte de ter dado certo porque é sempre um pouco arriscado simplesmente ir para o estúdio com alguém novo. Mas foi muito natural desde o início. Foi um processo muito instintivo.

Atualmente, as mulheres representam apenas 2% dos produtores e 3% dos engenheiros da música popular. Por que você acha que esta indústria tem demorado tanto para reconhecer as mulheres nos bastidores?

Na minha própria experiência, um dos motivos pelos quais acho que há tão poucas produtoras é porque as artistas ou compositoras não recebem crédito. É uma coisa muito interessante que eu tive que navegar. No primeiro disco, não recebi créditos de produção porque nem pensei em pedi-los, mas o fato é que ajudei a dar forma a cada disco e fui precisa em deixar cada música do jeito que eu queria. Se eu não estivesse na sala, esses discos teriam soado muito diferentes.

O que você pode me dizer sobre o conceito por trás do vídeo de “Man’s World”?

É o primeiro pelo qual recebo o crédito por direção criativa e redação da história – novamente, já fiz esse papel antes, mas é uma daquelas coisas básicas em que as pessoas acham que o artista não fez porque seu nome não aparece. Eu comecei com o roteiro em março, depois enviei para Alex, e nós o desenvolvemos mais juntos. Fui inspirada por este artista que fez essas pinturas neoclássicas no final de 1800, chamado John William Godward. Eles usam essas composições de cores muito modernas, como o verde menta com chartreuse ou magenta. Esse foi o centro de todo o vídeo e a principal inspiração visual.

pemTranquilityem  by John William Godward whose work Diamandis cites as a key influence behind the Mans World visuals. p

Quem desenhou os figurinos?

Todos foram feitos sob medida pela Olima. Ele já havia feito muitos dos meus figurinos de turnê, mas para essa sessão, eu sabia desde o início que precisávamos criar nossos próprios looks. Eu queria que o visual acentuasse qualquer forma corporal também.

“Man’s World” é um indicador da direção musical ou temática que podemos esperar do novo álbum?

Sim, é definitivamente uma indicação de para onde o álbum está indo. Mas é um disco surpreendente sonoramente. É uma sensação rica e quente. Tematicamente, é definitivamente sociopolítico, mas há uma mensagem muito ampla em termos dos temas sobre os quais estou escrevendo. É tudo muito confuso. A maneira como escrevo não é mais conceitual, é apenas o que está acontecendo naquele momento.

Você disse anteriormente que cada registro é uma espécie de oposto do anterior. O que parece diferente desta vez?

Love + Fear era um álbum tão diferente e altamente colaborativo na área de composição, que era o que eu precisava na época. Naquela época da minha vida, eu me sentia muito insegura sobre tudo. Eu estava saindo de dois anos muito deprimidos de maneiras que comecei a duvidar da minha tomada de decisão. Mas me sinto muito diferente nesse álbum. Acho que estou muito mais confiante e minha vida está mais equilibrada. Fiz várias mudanças na minha vida profissional e isso sempre se traduz em arte, se você tem uma equipe facilitando suas ideias e ajudando você a criar o que você deseja. Eu me sinto no controle. É tão libertador e fortalecedor não ter que lutar com sua gravadora para discutir suas idéias.

últimos tweets

Marina esses dias:
- Tô colocando I'm Not Hungry Anymore na turnê
- Tô fazendo álbum novo
- Tô querendo colaborar só com mulheres

“Quem são suas produtoras, compositoras e artistas favoritas no momento? Estou criando meu próximo projeto... e essa história só pode ser contada por mulheres. Estou procurando vocês.” - Nova publicação no Instagram.

2

MARINA JÁ ESTÁ PRODUZINDO O NOVO ÁLBUM!

instagram

facebook